A farsa do desarmamento II

Continuando minha empreitada contra a camapanha ridícula do desarmamento do cidadão (não do bandido, mas do cidadão) apresento-vos um vídeo que esfrega na cara dados estatísticos e fatos históricos que comprovam que desarmar o cidadão não diminui a violência. Muito pelo contrário.

Check it out:

Anúncios

Manifeste sua inconformidade às Empresas Patrocinadoras da Parada Gay

Se você sentiu-se ofendido e agredido na sua fé Se você sentiu-se ofendido e agredido na sua fé com os cartazes desrespeitosos à fé católica na “Parada LGBT”, convidamos a escrever para as seguintes empresas:


Se desejar, pode utilizar o seguinte texto como base para seu e-mail.

Prezados senhores,

O nome de sua organização aparece publicamente entre os patrocinadores da “Parada do Orgulho LGBT”, ocorrida no dia 26 de Junho de 2011 na cidade de São Paulo, com repercussão nacional. Este evento fixou, ao longo da avenida Paulista, 117 cartazes altamente ofensivos ao sentimento religioso dos católicos.

O Código Penal, art. 208, estabelece que “vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso” é crime punível com pena de detenção de um mês a um ano ou multa.

Os senhores sabiam que neste evento se ofenderia assim a fé católica? Os senhores consentem em ter sua marca associada a este tipo de agressões ostensivas? Querendo ou não, o fato é que associaram sua marca a um comportamento de ódio anticatólico. Isso pede uma reparação.

O Catecismo da Igreja Católica ensina que: “Todos os sinais da celebração litúrgica são relativos a Cristo: são-no também as imagens sacras da santa mãe de Deus e dos santos. Significam o Cristo que é glorificado neles”.

Os realizadores da “Parada do Orgulho GLBT” ofenderam profundamente os sentimentos religiosos da comunidade católica no país, ao utilizar as representações dos santos como homossexuais.

Gostaria de informar aos senhores que, caso seja mantido o apoio prestado a este tipo de evento, não utilizarei mais seus serviços e produtos, e igualmente difundirei esta mensagem entre meus amigos e demais contatos.

Quando compramos um produto ou contratamos um serviço, a identificação com a marca é um aspecto muito relevante. Se sua marca faz questão de estar associada a atitudes desrespeitosas com relação à fé católica, de modo algum terá meu apoio.

Atenciosamente,


ESCREVA TAMBÉM PARA
AQUI

E PARA
AQUI

 

Retirado de: Voto Católico.

Conferência “A cultura da vida contra a cultura da morte”

O Bispo de Guarulhos, Sua Excelência Reverendíssima, Dom Luiz G. Bergonzini, irá dar uma palestra no Colégio e Faculdade São Bento sobre infanticídio (aborto), tema este tão polêmico que põe em jogo a vida de muitos.

Clique no seguinte link para fazer sua inscrição: (faça aqui sua inscrição).

Data: 20 de junho de 2011
Horário: 19h00 (recepção) 19h30 (início da palestra)
Local: Colégio e Faculdade São Bento s/n°
Centro – São Paulo/SP

Veja o mapa, clicando aqui.

(Se já se inscreveu, convide agora seus amigos para irem com você)

Parte do texto do IPCO:

Alguns movimentos pró-aborto estão se articulando no Brasil para que esta prática abominável seja legalizada em nosso País.

Não podemos deixar que isso aconteça!

Há estacionamento dentro do próprio colégio para os que forem de automóvel.

No final da palestra, um cocktail será servido para que todos os presentes possam se conhecer, trocar idéias e combinar ações.

A farsa do desarmamento

“Quando um homem forte e bem armado guarda a sua casa, os seus bens estão em segurança.”  –  Jesus Cristo (Lc 11, 21)

Mais uma vez estão tentando, de forma muito sutil, tirar a idéia de que não é legítima a última forma de proteção ao direito máximo do cidadão.

Essa campanha do desarmamento é apenas uma investida oportunista que se aproveita daquele trágico evento ocorrido numa escola do Rio de Janeiro, para fazer a mente de algumas pessoas que, movidas pelo sentimento, acabarão por atropelar a razão e, cheio de boas intenções, votarão a favor do desarmamento.

A legítima defesa é algo legítimo, oras. Por que raios de motivo eu abriria mão do direito de proteger minha vida e de minha família? Só porque governos totalitaristas assim o querem?

Abaixo, razões para não se compactuar com a farsa do desarmamento.

1o Motivo Para Votar NÃOOs países que proibiram a venda de armas tiveram aumento da criminalidade e da crueldade dos bandidos.

A Jamaica, um dos países mais violentos da América, baniu as armas de fogo em 1974. De lá para cá, a situação piorou, e com o acréscimo de um novo elemento, o mercado negro de armamentos. “Os criminosos jamaicanos encontram pistolas e revólveres contrabandeados facilmente, enquanto o cidadão honesto que quer ter uma arma é obrigado a recorrer à ilegalidade” disse o canadense Gary Mauser, pesquisador do Instituto de Estudos Urbanos do Canadá e especialista em políticas de controle de armas, à revista cujo artigo resumimos.

Em 1996, a Austrália baniu os modelos automáticos e semi-automáticos e tirou 700.000 armas de circulação, um sexto do arsenal do país – mas o número de homicídios se manteve inalterado. Na Inglaterra, desde o banimento das armas com calibre superior a 22 milímetros, em 1997, os crimes de morte aumentaram em 25% e as invasões de residências em torno de 40%.

Com a população desarmada os riscos são menores para os criminosos”, diz o economista John Lott, autor de dois livros sobre desarmamento.

2o Motivo Para votar NÃOAs pessoas temem as armas. A vitória do “Sim” no referendo não vai tirá-las de circulação no Brasil.

A culpa pelos altos índices de criminalidade e de homicídios não é da arma, mas de quem a tem em mãos. Revólveres não transformam cidadãos em assassinos.

A Suíça é um dos países mais armados do mundo. São 2 milhões de armas – entre elas 600.000 fuzis e 500.000 pistolas – para uma população de 7 milhões de pessoas. As ocorrências de crime por arma de fogo são tão baixas que nem sequer têm valor estatístico.

Em especial, os países de fronteira, com grandes espaços a ser ocupados, como os Estados Unidos, o Canadá, e o Brasil, têm a tradição da posse da arma e da caça. Nas zonas rurais brasileiras, longe dos pontos policiais, serve para sitiantes e fazendeiros defenderem suas propriedades de assaltos, invasões do MST e dos ataques de animais predadores e criações.

As armas, assim como as bebidas alcoólicas ou os automóveis, não causam estragos por conta própria. Só se tornam nocivas se forem mal utilizadas.

3o Motivo para Votar NÃOO desarmamento da população é historicamente um dos pilares do totalitarismo. Hitler, Stalin, Mussolini, Fidel Castro e Mao Tse-Tung estão entre os que proibiram o povo de possuir armas.

Antonio Gramsci, fundador do Partido Comunista Italiano, listou o desarmamento da população entre as providências essenciais para garantir o controle totalitário da sociedade.

Hitler desarmou os alemães e os povos dos países ocupados, mas distribuiu armas entre milícias fiéis ao regime. É o mesmo que atualmente fazem Fidel Castro em Cuba e o coronel Hugo Chávez na Venezuela.

4o Motivo Para Votar NÃO A polícia Brasileira é incapaz de garantir a segurança dos cidadãos.

O fato de a segurança coletiva ser atribuída ao Estado não elimina o direito de autodefesa do cidadão para proteger a própria vida.

Em países como o Brasil, em que a impunidade de criminosos, a ineficácia das leis, e a violência urbana fazem parte do imaginário nacional, é natural que a confiança dos cidadãos no Estado desapareça. A desconfiança da população tem respaldo nas estatísticas: apenas um décimo dos 50.000 homicídios que acontecem por ano no Brasil é esclarecido pela polícia.

5o Motivo Para Votar NÃO A proibição vai alimentar o já fulgurante comércio ilegal de armas.

Bandidos não compram armas em lojas. “A maior parte das armas em poder do crime organizado é obtida por meio de contrabando”, diz o delegado Carlos Oliveira, titular da Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos do Rio de Janeiro.

A proibição do comércio de armas de fogo não vai por fim ao mercado de armas e munições. A medida, além de contribuir para o crescimento do mercado clandestino, pode colocar o cidadão de bem em situação irregular.

[O mais óbvio] 6o Motivo Para Votar NÃOObviamente, os criminosos não vão obedecer à proibição do comércio de armas.

Em vista das pesadas restrições que cercam a venda de armas no Brasil, todo o mastodôntico referendo foi criado, em última análise, para decidir sobre um reles arsenal de 3000 revólveres e armas de caça vendidos por ano. Isso num país em que se estima existirem 8 milhões de armas clandestinas.

7o Motivo Para Votar NÃO O Referendo desvia a atenção daquilo que deve realmente ser feito: a limpeza e o aparelhamento da polícia, da justiça e das penitenciárias.

Crime se combate com uma polícia honesta e bem equipada, não com o desarmamento da população”, diz o paulista José Vicente da Silva Filho, ex-Secretário Nacional de Segurança Pública.

O governo federal gasta, por ano, 170 milhões de reais com segurança pública. Isso é menos do que os 270 milhões de reais que serão gastos com o referendo. Com esse dinheiro seria possível comprar 10.500 viaturas e 385 000 coletes à prova de bala para a polícia. O recurso seria ainda mais bem aplicado se fosse usado na aquisição de computadores para as delegacias e na unificação do banco de dados das forças públicas.

Disponível e retirado de:  http://www.montfort.org.br/old/index.php?secao=veritas&subsecao=politica&artigo=desarmamento&lang=bra

***

Estes são irrefutáveis argumentos apresentados na Revista Veja de Outubro de 2005, pág. 76 a 88, por Jaime Klintowitz.

Mas também é muito importante conhecer o que diz o advogado presidente do Movimento Viva Brasil, Bene Barbosa.

Bíblia Católica – Download

O site Bíblia Católica disponibiliza um programa bem itneressante e muito útil a todos: uma versão eletrônica da Bíblia Católica, ou seja, a Bíblia verdadeira e na íntegra.

Mas o software não é apenas os textos da Sagrada Escrituras, possui ainda uma pequena enciclopédia, um glossário muito bom para ajudar no desenvolvimento do conhecimento nosso sobre a Igreja.

Clique aqui ou na imagem para baixar.

Recebam mais este golpe!

O movimento homossexual do mundo inteiro deve estar ainda a bufar de raiva com a derrota sofrida na Colômbia e na França, que recusaram o absurdo do casamento [?] gay.

Tiveram eles, dessa vez, aceitar o que todas as pessoas sérias vêm dizendo há tempos sobre homossexualismo, Estado laico etc. Os sofismas dos gays de querer convencer através de falsos argumentos e capiciosas frases de efeito, não conseguem provar o impossível. A resposta do Conselho Constitucional Francês foi esmagador. Facta sunt!

Abaixo, parte do texto publicado no blog Deus io vult.

1. França contra o casamento gay: “O Conselho Constitucional francês, um órgão de proteção constitucional das leis do país, divulgou, na sexta-feira, 28 de janeiro, sua resposta à chamada ‘Questão Prioritária de Constitucionalidade’ (QPC), criado por duas mulheres lésbicas, Corinne Cestino e Sophie Hasslauer, e estabeleceu que a atual proibição do casamento homossexual está conforme a Constituição vigente”.

2. Colômbia contra o casamento gay: “A Corte Constitucional da Colômbia não aceitou o pedido de modificar a definição legal do casamento e manteve a fórmula do Código Civil que só o reconhece entre “um homem e uma mulher”, noticiou a agência ACI”.