Quão escura foi a Idade das Trevas?

Não é raro encontrarmos pessoas repetindo o que lhes foi contado em aulas e história nos ensinos fundamental e médio, sem antes averiguar em outras fontes se tais afirmações são mesmo verdadeiras. A Idade Média é talvez o caso mais comum disto.

Quantas pessoas você já não viu usando a expressão “Idade das Trevas” para designar o período entre a queda do Império Romano e a Renascença?

Mas quantas vezes você se questionou se a Idade Média foi mesmo um período de superstição, tristeza, ausência de cores, medo e ignorância? Será que podemos acreditar em absolutamente tudo que nos é ensinado nas escolas, ainda mais sabendo do viés que há, principalmente no sistema de ensino brasileiro?

O vídeo a seguir é um convite a conhecer melhor a Idade Média, tomando conhecimento de fatos muitas vezes, propositadamente ou não, ocultados de nós.

ps.: Agradecimento ao meu amigo Demetrius, pela a ajuda com as legendas.
ps.: O autor deste blog não endossa todo o conteúdo produzido e/ou publicado pela Prager University. A relevância e conteúdo deste vídeo é que fizeram valer sua legendagem e publicação aqui.

Sócrates encontra Marx

Socrates meets marx

Sócrates encontra Marx
Socrates meets Marx: The Father of Philosophy Cross-Examines the Founder of Communism
Peter Kreeft

2003
Avaliação (5 de 5): 

Você já imaginou como seria um diálogo entre dois personagens que entraram para a História e que nunca se encontraram? Imagine que um destes sujeitos é o filósofo Sócrates e que resolve analisar uma obra do segundo que é, neste caso, Karl Marx, além de tentar ajudar este a conhecer a si mesmo. É isto o que ocorre neste livro formidável de Peter Kreeft.

Ao longo do livro, o Manifesto do Partido Comunista é analisado por Sócrates que, devido à sua incansável busca pela verdade, acaba, vez ou outra, por irritar Karl Marx.

O livro é um diálogo interessante entre estes homens cujas pouquíssimas semelhanças resumem-se basicamente a serem feios e serem responsáveis por idéias que influenciaram – e ainda influenciam – tanta gente.

Com muitas referências a outros nomes marcados na História, o livro faz o leitor acompanhar um bem-humorado e, ao mesmo tempo, sério e importante debate.

Trecho de um dos capítulos do livro. Tradução livre do autor deste blog.

MARX: Que tortura você vai realizar em mim, Doutor Sócrates? Você vai me dissecar?
SOCRATES: Não. Vou dissecar somente o seu livro.
MARX: Você já não sabe exatamente o que está no meu livro?
SOCRATES: Eu sei. Mas você pode não sabê-lo.

Palestra – Foro de São Paulo

Exímia conhecedora da história recente da América Latina e respeitada intelectual, Graça Salgueiro domina o tema como ninguém no Brasil, e proferiu a seguinte palestra que é, sem dúvida um must-watch a todos os brasileiros e latino-americanos, em geral.

Vale a pena ver esta aula! É impossível entender o que está acontecendo em nosso continente e as políticas interna e externa de nosso país e seus vizinhos sem saber o que é esta organização que está associada às FARC e ao MIR chileno e que busca recuperar o que foi perdido com o fim da União Soviética. Daí, a relação estreita de muitos países da América Latina com Cuba e a expansão do bolivarianismo em nosso continente.

Teorema da divisão inteira – Prova

Nos vídeos a seguir falo sobre o teorema da divisão inteira, o algoritmo da divisão, ou ainda, algoritmo da divisão de Euclides.

O teorema da divisão inteira é importantíssimo para quem estuda Álgebra Abstrata, além de ser útil também para o estudo de Teoria dos Números.

Este teorema diz que para qualquer par de números inteiros ab, sendo b > 0, sempre é possível escrever

render (1)

com r restrito ao intervalo

render.

O primeiro vídeo trata da prova da existência de tal q e, consequentemente, da do r também.
O segundo vídeo é sobre a unicidade dos mesmos.

Entenda o que é a depressão

O vídeo abaixo feito pela OMS explica de uma forma bem simples, para quem nunca teve depressão, o que é a mesma e o que passam pessoas depressivas.

Os que sofrem com esta doença deve também assisti-lo, pois o curta fala como é possível superar tal mal. Quem possui transtorno obsessivo-compulsivo, TOC, também poderá beneficiar-se das informações deste vídeo, no que diz respeito a poder melhorar de situação, controlar a doença.

Assista e divulgue! Você pode estar salvando vidas assim.

Vi no Catholicus.

Dez conselhos para quem quer lutar pelos seus direitos na Universidade

O professor Ricardo da Costa deu no seguinte texto uma série de dicas para quem deseja fazer um trabalho em um tema e, por algum motivo, professores universitários, coordenações de curso ou universidades rejeitam ou colocam entraves e mais entraves.

O texto foca na questão de trabalhos de História relacionados à Idade Média, sua área de domínio. Porém, a qualquer um são úteis as informações a seguir. E nunca opte pela décima opção!

Como se não bastasse a propaganda mentirosa que professores ensinam sobre a Idade Média, há mais isso: eu recebo, há tempos, e de várias partes, mensagens de alunos queixosos que desejam estudar o período medieval em seus trabalhos finais de graduação e são constrangidos por professores com discursos do tipo “É um trabalho difícil”, “Não há fontes disponíveis”, “Não há ninguém que possa te orientar nesse assunto”. Bem, eu sugiro aos interessados (QUE DESEJAM LUTAR PELOS SEUS DIREITOS) que:

(1) Tão logo ingressem em seu curso de graduação, peçam o seu Regimento Interno (que tem os direitos e deveres de alunos e professores). Leiam-no CUIDADOSAMENTE. Verão que, ao ingressar em sua universidade, os alunos têm direitos (e deveres, certamente). Um deles é a obrigação de a Instituição dar um orientador para o que você escolheu pesquisar;

(2) Ao solicitarem QUALQUER COISA à sua instituição, façam POR ESCRITO, com duas vias – uma para o órgão competente, outra para você (que deve ser assinada, carimbada e datada pelo funcionário que receber seu pedido);

(3) Há prazos institucionais para você receber sua resposta POR ESCRITO – e ela deve ter uma justificativa com base na Lei;

(4) Caso seu pedido seja negado, e com uma justificativa estapafúrdia – a parte interessada pode recorrer. ATÉ A REITORIA (e, caso seja uma federal, até o Supremo);

(5) Se a direção de seu curso disser que não há professores capazes de orientá-lo, diga ao chefe: “Não é culpa minha. É obrigação da Instituição prover meu desejo, de acordo com o item “x” da Resolução…;

(6) As universidades costumam estabelecer relações interinstitucionais entre elas. Para isso, basta o chefe de seu curso entrar formalmente em contato com o chefe da outra universidade (que tem um especialista em medieval) e solicitar a orientação. Com a Internet, tudo ficou mais fácil – pode haver (e há) orientação à distância;

(7) Por falar em Internet, quando alguma anta com título de doutor te disser que não há fontes disponíveis, mostre ao paquiderme as centenas de obras medievais traduzidas e publicadas NO BRASIL, ou os sites que disponibilizam os textos – só no meu site eu ofereço um monte (Veja em http://www.ricardocosta.com/textos);

(8) Acima de tudo, ESTUDE. Por conta própria. Não espere nada da universidade. NÃO ESPERE NADA DE NINGUÉM. NADA! Por exemplo, um bom começo: ESTUDE sua língua materna. Prepare-se. O início passa OBRIGATORIAMENTE pelo estudo da língua pátria. Não dá para lutar por direitos sendo uma pessoa semi-alfabetizada;

(9) Prepare-se para a luta. Tenha uma postura republicana, cívica;

(10) ALTERNATIVA: pare de reclamar e faça o que mandarem.

Abraço!